A Divina Comédia: uma análise sobre o inferno de Dante

Por Marcus Phellipe em 07 de abril, 2015



“ó, vós que entrais, abandonai toda a esperança”
Inferno, Canto III, 9



Antes de tocar no livro tema desse artigo, é preciso saber quem foi seu escritor que trouxe para o mundo uma visão totalmente amedrontadora do inferno e como isso repercutiu em uma época onde a igreja (instituição) regia com vara de ferro, pela sua forte influência nos governos e reinos da época, disseminando uma era de grande regresso aos direitos humanos. E de fato contrariando totalmente as Escrituras Sagradas, deixando como consequência para os séculos futuros, uma má impressão e generalização por parte da população mundial a respeito da fé cristã.

O autor desse magnífico livro, se chama Dante Alighieri. Ele nasceu em 1265, nativo da cidade de Florença e vindo de uma família de baixa nobreza. Muito pouco se sabe sobre a vida de Dante, pois em muitos dos seus livros fica difícil separar fato de ficção, dado a forma como ele se introduz dentro de suas próprias histórias e deixa informações soltas sobre sua vida pessoal, como pode ser visto nas obras como Vida Nova (La vita nuova) e A Divina Comédia, inicialmente chamado apenas de Comédia (Commedia).

Dante no exílio, pintor desconhecido

Dante no exílio, pintor desconhecido.

Uma rápida pincelada sobre a obra!

A Divina Comédia é a maior obra de Dante, sendo escrita por volta de 1310 e concluindo-se pouco antes da sua morte no ano de 1321. Toda a obra é de uma genialidade impressionante, escrita em italiano, é um poema narrativo totalmente planejado dentro de uma simetria e lógicas algébricas que mais parece escrita por um matemático do que um simples escritor.

A história narra a odisséia de Dante, que se inclui como personagem principal na obra, vagando pelos 3 planos espirituais: Inferno, Purgatório e Paraíso. Tanto o Inferno como o Purgatório, Dante é guiado pelo poeta romano, e um de seus maiores inspiradores fora da trama, Virgílio. Não podendo acompanhá-lo até os portões celestiais, pois este estava preso no Limbo, quem o guia desse perímetro até a Glória de Deus, é uma mulher chamada Beatriz, que fora da narrativa foi inspirada por Beatrice, uma jovem moça da qual Dante foi apaixonado por toda a sua vida.

Mas e o Inferno?

Sim, vamos começar a falar dele agora.

O cenário começa quando Dante se vê perdido em meio a uma floresta escura e amedrontadora, pois sua vida tinha deixado de seguir o caminho certo. Após tentativas frustradas de escapar, tendo aparecido 3 feras que impediam a sua fuga, Virgílio aparece para Dante, a mando de Beatriz que desceu dos céus até o Limbo para pedir ajuda a Virgílio, e propõe um trajeto diferente.

A topografia do Inferno e o 1º Círculo

O Inferno é dividido em 9 círculos, cada círculo corresponde a um pecado e como o pecador irá sofrer durante toda a sua eternidade. O Inferno torna-se mais profundo a cada círculo que se passa e quanto mais fundo se vai, piores são os castigos. Os mortos são atormentados por centenas de demônios, objetos obscuros, forças da natureza e situações que afeta não só o corpo espiritual como o seu mental, deixando muitas vezes, como Dante mesmo relata, em um estado catatônico. Ao passarem pelos portões do inferno, se deparam com o barqueiro Caronte, que os leva através do Rio Aqueronte para o 1º Círculo, chamado de O Limbo.

O limbo onde fica as almas que não puderam escolher a Cristo, mas escolheram a virtude, tendo a vida que sempre quiseram ter no pós-morte. Aqui também se encontra os que não foram batizados e os que morreram no período antes de Cristo, Virgílio reside nesse local, assim como muitos outros escritores da antiguidade, como é o caso de Homero.

2º ao 5º Círculo

Nessa região, os peregrinos encontram o juiz do inferno, conhecido como Minós. Ele ouve todas as confissões das almas que chegam e os envia para o círculo que aquele espírito pertence. É curioso como esse ato é feito, o círculo é representado pelas voltas que a cauda do ser Minós dá. Nesse mesmo círculo, os que praticaram o pecado da Luxúria são jogados em um turbilhão de vento, sendo massacrados pelo ar que é tão afiado quanto uma navalha.

Dando seguimento a sua trajetória, ambos encontram Cérbero no 3º Círculo que espanca aqueles que cometeram o pecado da Gula, e sobre eles caem uma chuva incandescente a todo momento. Ao chegar no 4º Círculo, ambos encontram os Avarentos e os Pródigos, que empurram pesadas cargas, representando o peso do dinheiro, incessantemente. Caminhando mais profundamente pelos círculos do Inferno, se deparam com um rio de sangue fervente, aqui são castigados os que praticaram a Ira, que juntamente com seus semelhantes se batem e se torturam.

Dante e Virgílio no Inferno, obra de William-Adolphe Bouguereau

Dante e Virgílio no Inferno, obra de William-Adolphe Bouguereau.

Diferente dos próximos Círculos a seguir, os pecados do 2º ao 5º Círculo são os praticados sem culpa pela inconsciência humana, são involuntários que partem da própria personalidade de cada ser humano.

6º ao 8º Círculo

Nessa transição, eles passam pela cidade de Dite e tem o auxílio de um anjo para continuar a caminhada. Ao entrarem no 6º Círculo passando pelo cemitério de fogo, onde jaz tumbas abertas com milhares de hereges em cada uma delas, onde o fogo as consome sem parar.

No próximo círculo, se encontra os que causaram violência contra o próximo, contra si (suicidas) e contra Deus, sendo esse último vale capaz de abrigar os 4 tipos de violência contra Deus. Os blasfemadores são punidos a ficarem no chão do deserto em terrível sofrimento, os intelectuais ficam espremidos uns sobre os outros, os sodomitas que são condenados a correr pelo deserto sem rumo e se pararem são obrigados a permanecer no mesmo lugar por mil anos e por último os usurários que são condenados a sentar em chamas.

Mais adiante está o 8º Círculo, onde são punidos os fraudulentos. Ele é dividido por dez fossos e cada fosse é capaz de abrigar um tipo de pecado relacionado a fraude, como: os semeadores de discórdia, traficantes de artefato sagrado, sedutores, adivinhos, aduladores, hipócritas, corruptos, falsários, maus conselheiros e ladrões.

A loucura do 9º Círculo

Essa região difere-se de qualquer outra anterior, porque diferente de todos os outros círculos, aqui é um lugar totalmente congelado, todo esse ambiente é destinado aos traidores. O ponto em que separa o 8º Círculo do 9º é coberto por uma muralha de gigantes que estão acorrentados, por terem traído ao deus Júpiter.

Dante fala para os traidores no gelo do nono círculo, obra de Gustavo Doré

Dante fala para os traidores no gelo do nono círculo, obra de Gustavo Doré.

As áreas desse círculo é separada por 4 esferas, que segundo Dante, são os nomes dos maiores traidores que já existiram. Em uma delas chamada de Esfera da Judeca, por causa de Judas traidor de Jesus Cristo, está congelado da cintura pra baixo Lúcifer com 3 cabeças que mordem, a todo momento, 3 traidores conhecidos como: Judas, Brutus e Cassius.

E como isso reflete nos dias atuais?

Na Bíblia, assim como no Torá, o conceito “Inferno” não é tão detalhado e assustador como Dante descreve em seu poema e os pintores retratam nas pinturas feitas para algumas edições do livro. Pouco é falado sobre o sofrimento eterno que é dado, de acordo com os profetas, a respeito daqueles que vivem uma vida de pecado e não busca se arrepender deles para obter não só a salvação, mas um relacionamento com Deus.

Ainda que de acordo com as religiões judaica e cristã, o inferno seja algo realmente doloroso, essa ficção que desenrola em toda sua obra foi e ainda é bastante amedrontadora. É importante perceber que na época em que a obra foi escrita, a igreja (instituição) estava ganhando um poder muito forte e precisava, por meio do medo, inserir nas pessoas a ideia do pecado.

E desde então, esse cenário que foi criado a partir dessa obra, culminou em muitos filmes que tem como base esse ambiente como é o caso do estrelado pelo falecido ator Robin Williams, Amor Além da Vida. E isso se intensifica quando nos referimos a jogos de videogames que envolvam algum conceito demoníaco, inferno ou sofrimento. O caso mais recente foi um jogo, totalmente inspirado na obra de Dante, chamado Dante’s Inferno.

Dante’s Inferno, jogo para consoles da Eletronic Arts

Dante’s Inferno, jogo para consoles da Eletronic Arts.

De qualquer forma, é notória a percepção de que apenas um livro pode mudar todo um cenário por séculos, principalmente se essas informações tiverem como norte algo religioso, como não bastasse a literatura italiana se tornou um dos documentos mais influentes.

Marcus Phellipe

Sobre Marcus Phellipe

Estudante de Design e Flamenguista saudável, adora conversar sobre religião e é apaixonado pelo universo.

Antes de comentar, lembre-se de nossas regras e recomendações! Lá você também encontra as informações para escrever suas próprias matérias para o Olingüeto.

  • Marcus Ferreira

    oi xará! O inferno de Dante, no caso o game, é impressionante! Vale a pena dar uma olhada no youtube